Viva Marilia | Viva Marília é a simplicidade através de conteúdos que façam a diferença na vida daqueles que dedicam seu precioso tempo para nos ler.

A ciência responde: quem te faz mais feliz, família ou amigos?

Data: / 312 views
A ciência responde: quem te faz mais feliz, família ou amigos?

De acordo com a ciência, os amigos, por serem menos críticos que familiares, desempenham um papel mais importante no bem-estar e felicidade

Você já parou para pensar em quem tem mais impacto no seu bem-estar, família ou amigos? De acordo com um estudo feito por pesquisadores da Universidade do Estado do Michigan, nos Estados Unidos, quando se trata de felicidade e saúde, os amigos são mais importantes do que a família.

Segundo os cientistas, amizades são menos críticas e tendem a ser mais positivas do que as relações familiares. “Amigos são uma escolha consciente. Relacionamentos familiares podem ser sérios, negativos e monótonos”, disse William Chopik, professor de psicologia e autor do estudo, ao jornal on-line britânico The Guardian.

Mais bem-estar e menos doenças

A pesquisa incluiu dois estudos. O primeiro, com cerca de 300.00 participantes de mais de noventa países, com idade entre 15 e 99 anos, mostrou que aqueles que valorizavam as amizades eram mais saudáveis ​​e felizes (de acordo com seus próprios relatos), especialmente quando envelheciam.

Já no segundo, realizado com 7.481 americanos acima dos 50 anos de idade, os participantes foram questionados sobre a qualidade de suas amizades – quanto os amigos os entendiam e/ou os decepcionavam. Também foram perguntados quão fortemente concordaram com a afirmação: “Minha vida é próxima do ideal”. Por seis anos, eles tiveram sua vida e histórico médico acompanhados.

Os resultados mostraram que, quando as amizades eram consideradas estressantes, as pessoas relatavam maior incidência de doenças. Por outro lado, os que tinham maior apoio dos amigos – maioria – estavam mais saudáveis. Surpreendentemente, a família teve pouca influência na saúde e bem-estar de um indivíduo. Cônjuges e filhos tiveram algum efeito, mas não tanto quanto os amigos.

Chopik ressalta que isso não significa que devamos ignorar nossos familiares, mas que os amigos nos fazem sentir melhor. “Com os amigos, é mais provável que você faça atividades – eles fornecem um escape. Você pode dizer coisas para os amigos e eles serão menos críticos. Há uma distância que proporciona um maior nível de honestidade”, explicou.

A importância de cultivar as amizades

Segundo informações do The Guardian, pesquisas têm consistentemente mostrado os benefícios das amizades. Uma revisão de 148 estudos com mais de 308.000 pessoas descobriu que aqueles com relações sociais fortes aumentaram suas chances de sobrevivência ao longo de sete anos em 50%. Segundo os autores, para a saúde, esse aumento é comparável aos benefícios de abandonar o tabagismo. Outras pesquisas mostram que as pessoas geralmente dizem passar um tempo mais agradável com os amigos do que com os parentes quando envelhecem.

O problema é que as amizades muitas vezes se afastam depois que as pessoas passam a morar com um parceiro, se casam ou têm filhos. No entanto, para Chopik, cultivar amizades de boa qualidade ao longo da vida é benéfico: aumenta a autoestima e protege contra o stress. Nós tendemos a abandonar amizades que não são boas para nós ou são superficiais. Ouvir e ser confiável são qualidades importantes em boas amizades – e esses são os mesmos fatores melhorariam as relações familiares.

- VEJA.com - 

- Comente, Compartilhe e Interaja em sua rede social.

Veja Também: Artigos Relacionados