Viva Marilia | Viva Marília é a simplicidade através de conteúdos que façam a diferença na vida daqueles que dedicam seu precioso tempo para nos ler.

Cães: seis atitudes engraçadinhas que podem significar problemas

Data: / 182 views
Cães: seis atitudes engraçadinhas que podem significar problemas

Carolina Rocha, veterinária e fundadora da plataforma Pet Anjo, explica alguns comportamentos comuns

Muitos comportamentos de cães são engraçados e fofos para seus donos. Porém, na verdade, podem ser um sinal de que o animalzinho não está bem. Confira abaixo alguns deles:

1) Cachorro “sorrindo” como um humano

Este não é um comportamento natural. Em geral, trata-se de uma reação aprendida. Provavelmente o cachorro “sorriu” e a atitude foi reforçada pelos tutores com petiscos, palavras animadas ou carinho. Em função disso, o pet pode repetir isso em situações nas quais ele se sinta ameaçado, com medo ou desconfortável, já que a consequência que acompanhou este comportamento inicialmente foi positiva. A ação servirá, portanto, para apaziguar uma situação.

2) Sacudir todo o corpo (como faz quando está molhado/saiu do banho)

Quando o animal apresenta esse comportamento “do nada” e sem estar molhado, é um indício de que ele está desconfortável com a situação, seja pela aproximação de uma pessoa desconhecida, por carinho excessivo ou cansaço. O ideal é observá-lo e levar em conta esses fatores, de acordo com a intensidade do contexto. Retirar o cão do local, se afastar, diminuir os estímulos do ambiente que podem incomodar ou parar o carinho ajuda.

3) Deitar-se com a barriga para cima

A situação parece ser fofa e supõe que o pet esteja pedindo carinho e atenção, entretanto, dependendo da circunstância, esse sinal significa o oposto. O animal pode estar querendo distância, pausa, calma e menos estímulo. Esse também é um comportamento de apaziguamento, como se a mascote estivesse comunicando que não quer violência, dizendo: “veja que estou em posição vulnerável e não farei nada de mal a você”.

4) Filhote mordiscando pessoas e objetos

Os filhotes têm o hábito de morder como uma maneira de explorar o mundo por meio da boca. O momento sugere diversão, no entanto, quer dizer que o pet precisa gastar energia e coçar as gengivas. Se os estimularmos a morder mãos ou móveis, por exemplo, eles podem levar esse comportamento para a fase adulta. Nesse caso, é importante ensiná-los a morder objetos específicos, como brinquedos.

5) Subir em pessoas ou móveis/objetos

É comum os cães montarem ou tentarem montar em pessoas da casa, hóspedes, móveis ou objetos. Para nós, pode causar estranhamento, em função de associarmos à uma atitude sexual – o que pode ser mesmo, caso haja a presença de uma cadela no cio. O contraponto, porém, está no fato do pet só estar buscando atenção. Isso ocorre porque esse tipo de atitude na maioria das vezes atrai o olhar do tutor. É possível evitá-lo, garantindo atenção ao pet, além de ignorar quando essa prática aconteça.

6) Cachorro protegendo um espaço da casa ou objeto

Quando o animal protege um espaço da casa ou objeto, é sinal de que aquilo é algo importante para ele. A atitude se mostra normal desde que não passe dos limites, ocasionando mordidas. Por isso, é importante não confrontá-lo para soltar o objeto ou sair do local. Caso se torne algo recorrente, o ideal é compreender o comportamento e dependendo da gravidade, procurar um profissional comportamentalista para ajudar a resolver o problema.

Dica: esses sinais também podem ocorrer em momentos comuns, por isso é importante observar o corpo do animal por inteiro e o contexto como um todo. Conhecer a personalidade do cão é igualmente relevante para as conclusões.

Carolina Rocha é veterinária e fundadora da plataforma Pet Anjo.

 A veterinária Carolina Rocha, da Pet Anjo

A veterinária Carolina Rocha, da Pet Anjo (Divulgação/Veja SP)

- Comente, Compartilhe e Interaja em sua rede social.

Veja Também: Artigos Relacionados