Viva Marilia | Viva Marília é a simplicidade através de conteúdos que façam a diferença na vida daqueles que dedicam seu precioso tempo para nos ler.

Câncer renal é assintomático na maioria dos casos; saiba como diagnosticar e tratar

Data: / 148 views
Câncer renal é assintomático na maioria dos casos; saiba como diagnosticar e tratar

Por volta de 30% a 35% dos diagnósticos são realizados apenas em fases avançadas ou em metástase, quando se espalha para outras regiões do corpo

Manter uma boa alimentação, atividade física regular e o peso ideal pode ajudar a evitar o câncer de rim. Foto: Fotorech / Pixabay 

 

Um câncer assintomático no início. Assim costuma ser o câncer renal, que está entre os dez tipos mais comuns entre os tumores malignos em adultos. Denise Leite, oncologista do Centro de Oncologia do Hospital 9 de Julho, afirma que "a maior parte dos pacientes é diagnosticada quando a doença está em estágio avançado. Por isso, ficar atento ao menor sintoma e fazer acompanhamento médico são medidas fundamentais para diagnosticar e tratar a doença o mais precocemente possível", explica.

Infelizmente, contudo, o câncer renal inicial não costuma gerar sintomas na maior parte dos pacientes. A tríade clássica de sintomas como a presença de sangue na urina (hematúria), massa palpável na barriga e dor abdominal está presente em cerca de 10% dos casos, apenas. Em geral, o diagnóstico é feito a partir de uma suspeita, na maioria das vezes gerada após realização de exames de imagem. Muitas vezes, o diagnóstico pode depender da realização de biopsia.

No caso de diagnóstico positivo, o tratamento vai depender do estágio da doença. Denise esclarece que em tumores localizados, a cirurgia pode ser a melhor abordagem. Outras opções para pacientes com a saúde fragilizada são: radioterapia e a crioablação (congelamento do tumor). "Já no caso de metástase, o tratamento principal é feito com medicações via oral ou endovenosa", pontua a especialista.

Outra opção é a  imunoterapia, em que o próprio sistema imunológico do paciente é estimulado a "aprender" a combater a doença com a ajuda de medicamentos. A oncologista reforça que a imunoterapia foi a grande revolução para pacientes com câncer renal.

"Com a chegada de novos medicamentos, quem sabe o tratamento possa ser acessível e mais efetivo para mais pacientes", explica a médica, que reforça ainda a importância de uma vida saudável para ajudar a evitar a doença. "O ideal é manter uma boa alimentação, atividade física regular e o peso ideal, sempre com acompanhamento de um especialista".

- REDAÇÃO - O ESTADO DE S.PAULO - 27/07/2018 - Consultoria: Hospital 9 de Julho

 

- Comente, Compartilhe e Interaja em sua rede social.

Veja Também: Artigos Relacionados