Viva Marilia | Viva Marília é a simplicidade através de conteúdos que façam a diferença na vida daqueles que dedicam seu precioso tempo para nos ler.

Dez coisas que as crianças colecionavam nos anos 70 e 80

Data: / 1047 views
Dez coisas que as crianças colecionavam nos anos 70 e 80

De bolinhas de gude a maços de cigarro

As crianças de antigamente adoravam colecionar coisas. Além das figurinhas, que já abordei neste link, existiam outros objetos, alguns inusitados, que faziam parte de coleções de crianças de todas as idades, principalmente nos anos 70 e 80. Esse hábito se perdeu com o tempo, e as crianças modernas não dão mais importância à coleções como estas, mas quem cresceu naquela época e  teve a oportunidade de conseguir algum item raro para a sua coleção, conhece bem o prazer que isso dá. Veja algumas das coleções que as crianças faziam naqueles tempos.

 

•    Bingola Disney
A Coca-Cola e a Editora Abril se reuniram em 1977 para lançar esta verdadeira febre entra as crianças, os adolescente, e até adultos. Bingola Disney era o nome da brincadeira. Todas as tampinhas de Coca-Cola e de Fanta vinham com um personagem Disney impresso no verso, e as revistas em quadrinhos da Abril traziam grátis cartelas com os personagens, como se fossem cartelas de bingo. Todo mundo tinha tampinhas para trocar, mas pouca gente completou toda a coleção de 72 tampinhas.

(Acervo/Divulgação)

•    Selos
A Filatelia anda um pouco esquecida pelos mais jovens, mas muitas crianças nos anos 70 colecionavam selos. Exemplares belíssimos de todo o mundo rendiam altos papos entre os colecionadores, e os selos dos países da antiga União Soviética estavam entre os mais desejados, principalmente os que homenageavam a conquista espacial.

(Acervo/Divulgação)

 

•    Maços de cigarro
Pode parecer estranho hoje em dia, mas nos anos 70 muitas crianças colecionavam maços de cigarro, principalmente de marcas não muito conhecidas e também marcas estrangeiras. Os colecionadores mais cuidadosos tratavam de emoldurar suas embalagens, para que elas não se degradassem com o tempo, e por isso, algumas coleções desse tipo sobrevivem até hoje.

(Acervo/Divulgação)

 

•    Papel de bala
Esta é mais condizente com o público infantil. Nos anos 80 as crianças começaram a colecionar papéis de bala. Quem conseguiu manter sua coleção hoje tem itens raríssimos em mãos, pois muitos doces daquela época não são mais fabricados.

(Acervo)

 

•    Bolinhas de gude
Jogar bolinhas de gude era uma das brincadeiras preferidas das crianças dos anos 70, como mencionei aqui. Mas algumas bolinhas eram tão bem feitas e ficavam com desenhos tão especiais, que muita gente passou a guardar os melhores exemplares, transformando o jogo em uma verdadeira coleção.

(Acervo/Divulgação)

 

•    Cédulas
Colecionar cédulas do mundo todo já era um bom passatempo nos anos 70 e 80. Hoje em dia, mesmo que não se consiga cédulas de outros países, não há problema. A moeda no Brasil já mudou tantas vezes, que temos uma infinidade de cédulas daqui mesmo pra colecionar.

(Mercado Livre)

 

•    Miniaturas de Coca-Cola
Ainda nos dias de hoje, de tempos em tempos a Coca-Cola lança miniaturas de seus produtos pra colecionar, mas foi nos anos 70 que esta febre começou, juntamente com a dúvida cruel se o que tinha dentro das garrafinhas era mesmo o famoso refrigerante.

(Acervo/Divulgação)

 

•    Papéis de carta
Nos anos 80, as meninas gostavam de colecionar papeis de carta de motivos românticos, e montavam pastas e pastas com plásticos lotados dessas folhas.

(Acervo)

 

•    Carrinhos Matchbox
Precursor dos famosos HotWheels, os carrinhos Matchbox eram o sonho de consumo das crianças nos anos 70. Revistas em quadrinhos sempre traziam algum anúncio de um novo modelo desses carrinhos, atiçando ainda mais a vontade da garotada, mas eram um tanto caros, então a maioria ficava só na vontade.

(Acervo)

 

•    Chaveiros
O bom de colecionar chaveiros é que não se apegava a um tema específico. Valia chaveiros de todos os tipos e temas, o que fazia com que essas coleções fossem sempre imensas.

(Mercado Livre/Divulgação)

- VEJA SP - 

- Comente, Compartilhe e Interaja em sua rede social.

Veja Também: Artigos Relacionados