Viva Marilia | Viva Marília é a simplicidade através de conteúdos que façam a diferença na vida daqueles que dedicam seu precioso tempo para nos ler.

Dona de supermercado é presa por vender produtos com validade vencida

Data: / 637 views
Dona de supermercado é presa por vender produtos com validade vencida

Um dia após gerente de outro estabelecimento na cidade também ser preso pelo mesmo motivo, mulher de 45 anos acabou detida por crime contra as relações de consumo. Na audiência de custódia, ela foi solta em liberdade provisória.

Além de produtos industrializados vencidos, policiais e agentes da Vigilância Sanitária também apreenderam carnes e peixes embalados e congelados de forma irregular — Foto: Polícia Civil/Divulgação

 

A dona de um supermercado de Pirajuí (SP) foi presa na manhã desta quarta-feira (13) suspeita de vender produtos com o prazo de validade vencido. A prisão aconteceu após fiscalização conjunta da Polícia Civil com a Vigilância Sanitária da cidade.

 

O caso aconteceu apenas um dia depois de um gerente de outro supermercado da cidade também ser preso pelo mesmo motivo.

Na ação desta quarta-feira realizada no mercado, localizado na rua Galeano Mota, no Jardim Paraíso, os policiais e fiscais da Vigilância Sanitária encontraram vários alimentos industrializados com o prazo de validade vencido.

 

Os agentes também recolheram vários pacotes de carne e de peixe embalados e congelados de forma irregular, segundo as regras do Código de Defesa do Consumidor (CDC) e da Anvisa, a agência nacional de Vigilância Sanitária.

Segundo o delegado César Ricardo Nascimento, a situação encontrada no estabelecimento representa um crime contra as relações de consumo, previsto em artigos da Lei 8.137/90 e do CDC. Procurado pelo G1, o Supermercado Galvão informou que não vai se manifestar sobre o caso.

 

Nos dois casos, os suspeitos acabaram soltos no mesmo dia após realização da audiência de custódia, que determinou a liberdade provisória. O gerente pagou fiança no valor de 3,3 salários mínimos (R$ 3.293,40), mas a dona do mercado foi solta sem esse pagamento.

Nos dois casos, os suspeitos poderão responder pelos crimes em liberdade, mas não poderão sair da cidade e devem se apresentar periodicamente à Justiça.

- Por G1 Bauru e Marília -  

- Comente, Compartilhe e Interaja em sua rede social.

Veja Também: Artigos Relacionados