Viva Marilia | Viva Marília é a simplicidade através de conteúdos que façam a diferença na vida daqueles que dedicam seu precioso tempo para nos ler.

Febre amarela: é possível ficar longe dela

Data: / 105 views
Febre amarela: é possível ficar longe dela

Infectologia do Hospital 9 de Julho esclarece sobre a febre amarela

São Paulo e alguns estados brasileiros estão vivendo o que chamamos de surto da febre amarela. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, até o dia 19 de janeiro 36 pessoas haviam morrido de febre amarela no estado desde 2017 e outros 81 casos foram confirmados.

Mas apesar dos números não há motivo para pânico, ok? A febre amarela é uma doença que pode evoluir para casos graves, mas há como evita-la e como impedir que o mosquito se prolifere. Vou explicar.

Por enquanto, a recomendação de vacinação é para pessoas que moram próximas a matas silvestres e onde o vírus circula. No entanto, várias dúvidas de pessoas de outras regiões acabam gerando um desconforto e até uma corrida desenfreada para se vacinar, provocando longas filas nos postos de saúde.

Muitos idosos ficam em dúvida se devem ou não tomar a vacina. E a recomendação para todas as idades é que pessoas em tratamento de câncer, que fizeram transplante ou estão fazendo uso de corticoides por um longo período não devem se vacinar. Se você tiver fazendo algum tratamento que diminui a imunidade, como doenças reumatológicas, não deve tomar a vacina. Mas somente o médico poderá dizer realmente quem pode ou não tomar a vacina.

Mas como saber se posso ou não tomar a vacina? A resposta é bem simples: consulte o seu médico. Não tome vacina sem falar com ele. Só ele poderá pesar o risco versus o benefício.

Enquanto isso você pode, sim, se prevenir contra o agente que transmite o vírus: o mosquito. Aí entra aquela recomendação que você está bastante habituado, inclusive já foi falado aqui no blog. Não deixe água parada, use repelente, use telas nas janelas e faça uso de aparelhos e produtos que inibam a presença de mosquito.

É amplamente divulgado que, por enquanto, o vírus ainda não está na cidade de São Paulo, mas quem possui sítios, chácaras ou vai viajar para locais em que há a presença confirmada do vírus deve procurar orientação médica e, se for indicada, tomar a vacina.

Mas atenção: pessoas idosas que já foram vacinadas, não precisam tomar a vacina novamente. Você já está protegido contra o vírus. Fique atento a isso, pois tomar a vacina sem necessidade não vai protege-lo mais.

Ainda nesta semana começa a campanha da vacinação da dose fracionada, o que significa que é a mesma vacina, só que com duração de 8 anos. Se você tem indicação, tome-a. Mas cuide da sua saúde e certifique-se que realmente você tenha indicação.

E lembre-se sempre que, ao menor sinal dos sintomas como dor no corpo, dor de cabeça, febre procure um hospital imediatamente.

Vamos seguir as recomendações do Ministério da Saúde, manter nossa casa livre de focos de mosquito, usar repelente e, se o médico recomendar, tomar a vacina. Viva mais e melhor.

- ESTADÃO - E Mais - Por Marcelo Levites

- Comente, Compartilhe e Interaja em sua rede social.

Veja Também: Artigos Relacionados