Viva Marilia | Viva Marília é a simplicidade através de conteúdos que façam a diferença na vida daqueles que dedicam seu precioso tempo para nos ler.

Joesley Batista, dono da JBS, foi envenenado, segundo laudo da polícia? Não é verdade!

Data: / 407 views
Joesley Batista, dono da JBS, foi envenenado, segundo laudo da polícia? Não é verdade!

Notícia que inventa laudo e diz que causa foi chumbinho tem viralizado nas redes. Motivo de internação do empresário foi dor no nervo ciático.

ircula no Facebook e no WhatsApp a notícia de que um laudo da polícia concluiu que o empresário Joesley Batista, sócio da J&F e autor da delação que gerou a abertura de inquérito contra o presidente Michel Temer, foi envenenado. Não é verdade.

 
Motivo de internação de Joesley é dor no nervo ciático (Foto: Arte/ G1)

Motivo de internação de Joesley é dor no nervo ciático (Foto: Arte/ G1)

A assessoria do empresário informa que o motivo de internação de Joesley foi uma dor no nervo ciático. Ele foi internado na terça-feira (27) no Hospital Albert Einstein, em São Paulo.

O hospital confirma a internação do empresário, mas não divulga boletins médicos a pedido do paciente.

 
Notícia tem se espalhado nas redes (Foto: Reprodução/Facebook)

Notícia tem se espalhado nas redes (Foto: Reprodução/Facebook)

A situação dele, no entanto, não é grave, como informa o texto que circula na web.

A falsa notícia, refutada na íntegra pela assessoria de Joesley, diz que "a perícia feita pela Polícia Científica aponta envenenamento por chumbinho". O texto informa ainda que "restam ser concluídas as perícias das imagens do circuito de segurança do restaurante onde Joesley fez sua última refeição".

Não há nenhuma investigação policial em curso.

É ou não é?’, seção de fact-checking (checagem de fatos) do G1, tem como objetivo conferir os discursos de políticos e outras personalidades públicas e atestar a veracidade de notícias e informações espalhadas pelas redes sociais e pela web. Sugestões podem ser enviadas pelo VC no G1, pelo Fale Conosco ou pelo Whatsapp/Viber, no telefone (11) 94200-4444, com a hashtag #eounaoe (caso prefira, a hashtag pode ser enviada logo após a mensagem também!)

 
Por Roney Domingos, G1 - 29/06/2017 17h44
- Comente, Compartilhe e Interaja em sua rede social.

Veja Também: Artigos Relacionados