Viva Marilia | Viva Marília é a simplicidade através de conteúdos que façam a diferença na vida daqueles que dedicam seu precioso tempo para nos ler.

Jovem de 15 anos sofre derrame uma semana após visita ao dentista

Data: / 517 views
Jovem de 15 anos sofre derrame uma semana após visita ao dentista

Exames apontaram que Leah sofria de endocardite, infecção que ocorre quando germes circulam pelo sangue e se anexam a áreas danificadas do coração

Leah Kitchen, de 15 anos de idade, reclamou para a mãe de febre, arrepios, dores de cabeça e dores nas juntas e músculos uma semana depois de ter ido ao dentista. Os médicos acreditavam que a adolescente estava gripada, mas a mãe da menina, Andrea Kitchen, de 42 anos, ficou preocupada ao perceber que a filha estava confusa e esquecida. Decidiu levá-la ao hospital. No centro médico, especialistas fizeram exames após suspeitas de meningite. A jovem, no entanto, não tinha a doença — mas sim uma enfermidade ainda mais inesperada.

Os exames apontaram que Leah sofria de endocardite, uma infecção que ocorre quando germes de outras partes do corpo circulam pelo sangue e se anexam a áreas danificadas do músculo cardíaco. Paciente com válvulas cardíacas danificadas ou artificiais, além de portadores de outros problemas cardíacos, correm mais riscos de desenvolver a infecção. Médicos acreditam que um minúsculo pedaço de metal do aparelho da jovem tenha provocado a contaminação, entrando no coração dela. A partícula teria se movido após a consulta.

A jovem sofreu dois derrames e passou por uma cirurgia de coração aberto que durou cinco horas e meia. Após a operação, ela enfrentou oito semanas internada, comemorando seu aniversário de 15 anos no hospital. Apesar de estar “90% recuperada”, Leah terá que incluir visitas constantes ao médico pelo resto de sua vida. Agora, a mãe da adolescente quer conscientizar outras pessoas sobre endocardite: “Você não acha que algo assim pode acontecer com você. Você pensa no pior cenário possível. Você pensa ‘meu Deus, algo vai acontecer com o meu bebê!’. Esse tipo de situação te muda como pessoa“, ela contou ao The Daily Mail.

Leah retornou para casa em 15 de janeiro, mas ainda está longe da recuperação completa: “Ela fica cansada muito mais facilmente agora, algo que faz parte da recuperação. Ela voltou para o colégio pela primeira vez na semana passada“, comemorou Andrea. A endocardite também pode acontecer com pessoas que têm cáries ou doenças de gengiva, como periodontite e gengivite. A infecção pode ser tão comum, que a mulher agora quer conscientizar outras pessoas sobre os sintomas: “A minha preocupação maior é com as crianças que usam aparelho fixo, mas também pode acontecer com pessoas que têm tatuagens e piercings. Se ela é diagnosticada rapidamente, a infecção não precisa chegar a esse estágio“, contou a mulher.

Andrea levou a filha ao médico após a piora dos sintomas de Leah. Os médicos, no entanto, ignoraram os apelos da mãe: “Assim que nós chegamos em casa ela começou a vomitar“, relembrou a mãe da adolescente sobre os sintomas da filha. Foi quando a menina começou a ficar confusa que a mulher resolveu tomar uma atitude. Os especialistas começaram a tratá-la para meningite, mas exames mais aprofundados mostraram que ela tinha endocardite. 

-  Redação VEJA São Paulo -

- Comente, Compartilhe e Interaja em sua rede social.

Veja Também: Artigos Relacionados