Viva Marilia | Viva Marília é a simplicidade através de conteúdos que façam a diferença na vida daqueles que dedicam seu precioso tempo para nos ler.

Lipedema: uma doença pouco conhecida, mas que atinge milhares de mulheres

Data: / 182 views
Lipedema: uma doença pouco conhecida, mas que atinge milhares de mulheres

Cirurgiã Vascular, Letícia Costa, traz detalhes sobre esse quadro tratando dos sintomas e tratamentos

Você já ouvir falar de lipedema? Se você sente muita dor nas pernas, por exemplo, é bom ficar atenta. A doença ainda é pouco conhecida e costuma ser confundida com obesidade, por exemplo. “Essa é uma doença inflamatória caracterizada pela deposição de gordura principalmente nos membros inferiores como nas pernas”, explica a cirurgiã vascular, Letícia Costa.

De cada 10 mulheres no mundo uma sofre com o lipedema. A estimativa é de que apenas no Brasil 5 milhões de mulheres tem a doença sem saber.  “O diagnóstico é essencialmente clinico com base nos sintomas relatados pelo paciente e alterações vistas no exame físicos. Normalmente o paciente se queixa de dor nas pernas, inchaço, hematomas espontâneos e frequentes”, detalha cirurgiã vascular.

A médica ainda destaca que no exame físico é possível perceber os sinais claros da doença. “A gente consegue perceber essa deposição anormal de gordura principalmente na região culote e dos joelhos, além disso tem um acometimento simétrico nas pernas, a hipersensibilidade ao toque, a alteração da textura da pele, nódulos gordurosos palpáveis. Outro ponto característico é que os pés são poupados da doença”, detalha.

Ainda não se sabe a causa do lipedema, mas uma das suspeitas é que está ligado a genética. Letícia Costa destaca que outros fatores também podem estar ligados. “Tem um envolvimento hormonal importante tanto em que momentos de alterações como menopausas, gravidez e uso de hormônios anticoncepcionais funcionam como gatilho da doença”.

A doença não tem cura, mas a descoberta precoce e precisa é fundamental para aumentar a qualidade de vida de quem vive com esse quadro. “Tratamento envolve uma equipe multidisciplinar que engloba dieta anti-inflamatória, exercícios físicos, terapia compressiva e em casos mais graves até cirurgias plásticas como a lipoaspiração”, pontua a cirurgiã vascular.

A dica da especialista é ficar atenta já que o lipedema é uma doença nova e pode ser facilmente confundida, inclusive por médicos, com outras doenças. “As pessoas que tem alguns dos sintomas a orientação é buscar um cirurgião vascular para receber um diagnóstico precoce e tratamento para evitar a evolução da doença, e ter uma melhor qualidade de vida”, finaliza Letícia Costa, cirurgiã vascular.

- R7 - cartão de visita news - 

- Comente, Compartilhe e Interaja em sua rede social.

Veja Também: Artigos Relacionados