Viva Marilia | Viva Marília é a simplicidade através de conteúdos que façam a diferença na vida daqueles que dedicam seu precioso tempo para nos ler.

‘Lua de Sangue’: Maior eclipse lunar do século poderá ser visto do Brasil

Data: / 160 views
‘Lua de Sangue’: Maior eclipse lunar do século poderá ser visto do Brasil

É o último eclipse total da Lua que poderá ser observado do país neste ano, o próximo acontece em janeiro de 2019

O maior eclipse lunar do século XXI poderá ser visto do Brasil na próxima sexta-feira, 27. O fenômeno, também conhecido como Lua de sangue, começa às 16h30 – o eclipse total vai durar cerca de uma hora e meia, segundo o Observatório Nacional. É o último eclipse total da Lua que poderá ser observado do Brasil neste ano, o próximo acontece em janeiro de 2019.

Na parte leste do país, onde ficam estados como Rio de Janeiro e Bahia, a Lua nascerá durante a fase total do eclipse. No oeste, entretanto, os brasileiros vão observar a Lua em sua fase parcial.

O Observatório Nacional recomenda que as pessoas busquem um local onde é possível ver o céu perto do horizonte a leste.

A partir das 18h13, a Lua sai da sombra mais escura – o movimento marca o início do eclipse parcial, que vai até as 19h19. Depois, começa a fase penumbral, quando a Lua entra em sua sombra mais clara. A Lua de sangue termina às 20h29.

O que é um eclipse?

Para que ocorra um eclipse, Terra, Lua e Sol devem estar alinhados. Dependendo da ordem, o resultado é um eclipse solar (com a Lua entre o Sol e a Terra) ou lunar (a Terra entre o Sol e a Lua). Os eclipses podem ser totais, parciais ou penumbrais. O eclipse lunar total ocorre quando o satélite penetra completamente a zona de sombra projetada pela Terra. Por causa da coloração avermelhada que a Lua adquire durante o fenômeno, ela recebe a denominação informal de “Lua de sangue”. 

O parcial ocorre quando apenas parte da Lua é obscurecida. O penumbral acontece quando a Lua passa pela região de transição entre luz e sombra, com a Terra interceptando apenas uma parte dos raios solares.

- VEJA - 

 

- Comente, Compartilhe e Interaja em sua rede social.

Veja Também: Artigos Relacionados