Viva Marilia | Viva Marília é a simplicidade através de conteúdos que façam a diferença na vida daqueles que dedicam seu precioso tempo para nos ler.

Mãe é detida por manter filha usuária de drogas acorrentada por mais de um mês

Data: / 469 views
Mãe é detida por manter filha usuária de drogas acorrentada por mais de um mês

Adolescente foi encontrada presa pelo tornozelo no guarda-roupa para que não fosse a ponto de venda de entorpecentes. Mãe da vítima responderá em liberdade por maus-tratos

Foto) Adolescente foi encontrada acorrentada em guarda-roupa de casa em Sorocaba (Foto: Guarda Civil Municipal/Divulgação)

Uma mulher de 43 anos foi detida nesta terça-feira (13) por ter acorrentado a filha de 17 anos em uma casa no bairro Nova Esperança, na Zona Norte de Sorocaba (SP).

Segundo informações do comandante da Guarda Civil Municipal - responsável por atender a ocorrência - , Mariano de Carvalho, a mãe alegou que a adolescente é usuária de drogas e, por isso, resolveu acorrentá-la há mais de um mês.

A corporação ficou sabendo do caso após receber uma denúncia anônima. Assim, uma equipe foi até o local indicado com representantes do Conselho Tutelar e encontrou a jovem presa por uma corrente no tornozelo em um guarda-roupa.

Aos guardas municipais, a mãe contou que a adolescente faz uso de crack e cocaína desde os 12 anos e que não sabia mais o que fazer para tirar a filha deste vício. Por isso, resolveu prendê-la.

 

"Além disso, a mãe contou que a filha estava devendo para traficantes e, por medo, optou por acorrentá-la. Disse que foi por uma questão de segurança e total desespero mesmo", explica o comandante.

 

Ainda segundo Mariano, a mãe contou que tomou essa atitude há exatos 43 dias. "A jovem foi encontrada com sinais de desnutrição, mas não podemos atribuir isso a mãe. Não podemos dizer que a mãe não estava alimentando a filha, porque, diante do quadro de dependência química, sabemos que a pessoa normalmente se recusa a comer."

 

A mãe - que é auxiliar de cozinha - foi conduzida ao plantão policial, onde a ocorrência foi registrada e o delegado de plantão a atuou por maus-tratos. Como o crime não cabe prisão em flagrante, ela foi liberada para responder o processo.

Já a jovem de 17 anos foi recolhida a um abrigo mantido pela Prefeitura de Sorocaba, onde receberá todos os cuidados necessários até que seja definida a sua custódia por parte da Justiça.

Por Fernanda Szabadi e Natália de Oliveira, G1 Sorocaba e Jundiaí - 

- Comente, Compartilhe e Interaja em sua rede social.

Veja Também: Artigos Relacionados