Viva Marilia | Viva Marília é a simplicidade através de conteúdos que façam a diferença na vida daqueles que dedicam seu precioso tempo para nos ler.

Mitos e verdades sobre o consumo de pimenta para a saúde

Data: / 132 views
Mitos e verdades sobre o consumo de pimenta para a saúde

Pimenta possui nutrientes? Leite diminui ardência? Desvende essas e outras hipóteses sobre a especiaria milenar

Estudos comprovam uso da pimenta por civilizações antigas para tornar alimentos mais agradáveis. Foto: Unsplash/@elletakesphotos

 

Dedo-de-moça, malagueta, jalapeño, biquinho, caiena… Os mais diversos tipos de pimenta estão presentes na alimentação do ser humano há milhares de anos, sendo consideradas especiarias perfeitas para acrescentar um sabor diferenciado ao alimento, além de possuírem outros benefícios para a saúde. "Existem estudos que mostram a utilização milenar de pimentas pelos índios e civilizações antigas para tornar os alimentos mais agradáveis ao paladar, já que são ricas em capsaicinoides, compostos fenólicos responsáveis pelo sabor característico da pimenta. Além disso, também eram utilizadas como conservantes em alimentos", explica a nutricionista Luna Azevedo, membro da Associação Brasileira de Nutrição.

Apesar das características gastronômicas que comprovam seu sucesso, o consumo da pimenta ainda envolve mitos e verdades pouco esclarecidos entre a população. Para desvendar essa especiaria milenar, a equipe do E+ selecionou sete hipóteses sobre a pimenta para descobrir: é mito ou verdade?

Mitos e verdades sobre o consumo de pimenta para a saúdeUnsplash/@ten80media

 
Pimenta possui muitos nutrientes

Verdade. "Entre os benefícios das pimentas, podemos dizer que elas são fontes de antioxidantes naturais, como a vitamina E, vitamina C e carotenoides. Além disso, possuem também capsaicinoides, compostos fenólicos responsáveis pelo sabor picante", explica Luna.

Foto: Unsplash/@ten80media

 
Unsplash/@perfectcoding
Leite diminui a ardência causada pela pimenta
 

Verdade. A caseína, proteína presente no leite, retira a capsaicina dos receptores nervosos localizados na boca, o que diminui o efeito picante. A nutricionista acrescenta: "É exatamente por isso que alguns pratos da culinária indiana que são temperados com pimenta são acompanhados de molho de iogurte".


Foto: Unsplash/@perfectcoding
 
 
Unsplash/@calumlewis
Pimenta provoca gastrite
 

Mito. Não existem evidências científicas suficientes que confirmem que pimenta está relacionada à gastrite, mas Luna adverte: "Para pacientes em fase aguda, ou seja, aqueles que estão apresentando sintomas e encontram-se no início do tratamento de gastrite, é melhor evitar a pimenta na rotina alimentar". A mesma capsaicina que provoca a ardência pode levar ao aumento da secreção gástrica e ocasionar irritações constantes na mucosa.


Foto: Unsplash/@calumlewis
Pixabay/@babawawa

 
Pimenta ajuda a emagrecer porque é termogênica e inibe o apetite

Verdade. "Entre os tipos de pimenta, o uso da pimenta vermelha durante as refeições estimula o sistema nervoso simpático, produzindo aumento da liberação de catecolaminas (noradrenalina e adrenalina) com consequente diminuição do apetite e da ingestão de calorias, proteínas e gorduras nas refeições seguintes", explica. Além disso, estudos demonstraram que as refeições com adição de pimenta aumentam a taxa metabólica significativamente, logo, isso evidencia que a pimenta pode ser útil em programas de perda de peso. No entanto, vale destacar que, sozinha, a pimenta não faz milagre: 'Ela deve ser somada à atividade física e bons hábitos alimentares".

Foto: Pixabay/@babawawa
Unsplash/@sonnnchen
 
Pimenta previne câncer
 

Mito. Apesar de ser muito discutido a ação anticarcinogênica da pimenta, estudos mostraram que, para apresentar algum benefício em humanos, deveria ser administrada em altas doses, o que não é viável através da alimentação. "Por enquanto não existem estudos suficientes que comprovem essa relação, mas pesquisadores já haviam mostrado que ela poderia ser eficaz na destruição de células cancerígenas em ratos com tumores na próstata, deixando as células saudáveis ilesas", explica a nutricionista.


Foto: Unsplash/@sonnnchen
Pixabay/@free-photos

Grávidas não podem comer pimenta
 
 

Mito. "Não existem evidências científicas que confirmem a influência negativa da pimenta para a gestante ou para o feto", esclarece Luna. Grávida pode comer pimenta, contudo, como a alimentação durante a gestação deve ser avaliada com mais cautela, o consumo de pimenta em grande quantidade não é recomendado por ser um alimento de fácil indigestão.


Foto: Pixabay/@free-photos
 
 
Pixabay/@daria-yakovleva
Existe recomendação diária para consumo de pimenta

Mito. Por se tratar de uma especiaria, o consumo da pimenta varia de acordo com os hábitos de cada um e de seus organismos, mas Luna adverte: "Nada em excesso é benéfico para o organismo e isso vale para as pimentas também".

Foto: Pixabay/@daria-yakovleva
 
- Bárbara Pereira * - O Estado de S.Paulo - * Estagiária sob supervisão de Charlise Morais.
- Comente, Compartilhe e Interaja em sua rede social.

Veja Também: Artigos Relacionados