Viva Marilia | Viva Marília é a simplicidade através de conteúdos que façam a diferença na vida daqueles que dedicam seu precioso tempo para nos ler.

Na Venezuela, grupos criminosos usam comida para recrutar crianças, diz ONG

Data: / 38 views
Na Venezuela, grupos criminosos usam comida para recrutar crianças, diz ONG

Organizações se aproveitam da crise econômica e da escassez de alimentos para cooptar crianças e adolescentes

Venezuelana procura por produtos em meio à prateleiras vazias em supermercado de Caracas; situação não melhorou com plano econômico. Foto: REUTERS/Marco Bello

CARACAS - Crianças e jovens de famílias pobres da Venezuela estão sendo recrutados por grupos criminosos em troca de alimentos, em meio à grave crise de desabastecimento que assola o país, afirmou na sexta-feira 2 o diretor da ONG Observatorio Venezolano de Violencia (OVV), Roberto Briceño León. "Há pouca comida para dividir", explicou o diretor ao canal Globovisión sobre o fato de as crianças receberem menos alimentos dentro de suas casas.

"Chega o grupo criminoso e convida essa criança para ir até a sede do grupo tomar um suco ou mesmo a uma lanchonete comer um hamburguer e começa a cooptar a criança", detalha Briceño León. 

O diretor acrescenta que o método de recrutamento começou a mudar. Houve uma época em que o atrativo, segundo ele, eram os "doces digitais", se referindo aos celulares e tablets, mas agora a comida se tornou o principal atrativo. "Percebemos que esse padrão mudou em razão da crise alimentar. As famílias não têm comida", afirmou.

A ONG OVV, formada por especialistas de oito universidades nacionais, divulgou um estudo no começo de outubro denunciando que três crianças morreram por dia em 2017 na Venezuela em razão da violência. O estudo, que teve como base informações publicadas em meios de comunicação impressos e dados de fontes oficiais, mostrou que 1.134 homicídios de crianças e adolescentes ocorreram no ano passado, ou seja, uma morte violenta a cada oito horas. 

Inflação: Quanto se gasta para fazer compras na Venezuela

 

Segundo a ONG, as crianças indígenas do Estado de Zulia, na fronteira com a Colômbia, entram para a criminalidade seduzidas por produtos desviados do programa de alimentos do governo conhecido como CLAP. "As crianças são usadas para contrabandear gasolina e transportar drogas", explica Briceño León. 

O diretor disse ainda que, além da crise alimentar, o abandono da escola tem papel importante na entrada dessas crianças e jovens a grupos criminosos. Nesse sentido, ele recomenda ao governo de Nicolás Maduro pensar em soluções que mantenham as pessoas na escola. "O abandono dos estudos deixa as crianças à mercê dos criminosos". 

Maduro afirmou na quinta-feira que a Venezuela tem uma taxa de escolaridade de 90% e a meta do governo é alcançar os 100%. O chavismo afirma que a crise econômica é resultado de um complô de setores da oposição aliados aos Estados Unidos. / EFE

- O Estado de S.Paulo - 03 Novembro 2018 | 05h00

- Comente, Compartilhe e Interaja em sua rede social.

Veja Também: Artigos Relacionados