Viva Marilia | Viva Marília é a simplicidade através de conteúdos que façam a diferença na vida daqueles que dedicam seu precioso tempo para nos ler.

Não só a saúde física, mas a mental importa em época de coronavírus

Data: / 119 views
Não só a saúde física, mas a mental importa em época de coronavírus

Psicólogo do Grupo São Francisco/Sistema Hapvida dá dicas de como afastar pensamentos negativos e sugere atitudes que ajudam a enfrentar melhor a situação

O brasileiro, apesar de acostumado a enfrentar inúmeras dificuldades, está experimentando uma realidade diferente com a pandemia do coronavírus. São várias preocupações e mudanças juntas: o medo de contrair ou um familiar ou amigo contrair o vírus que causa a Covid-19, a alteração na rotina para evitar a contaminação, o distanciamento de quem se gosta, o isolamento em casa e a preocupação com emprego ou renda a partir de agora. Além do risco do coronavírus em si, toda esta situação pode afetar a saúde mental das pessoas, com aumento dos níveis de ansiedade e agravamento de distúrbios pré-existentes, alerta o psicólogo Mário Soares, do Grupo São Francisco, que faz parte do Sistema Hapvida.

Para ele, é o momento de cuidar não somente da saúde física, mas também da saúde mental. “Na clínica que atendo, aqui em Bauru, já há umas duas últimas semanas, aumentou significativamente o número de pessoas buscando ajuda. Eleva-se a ansiedade com essa situação toda. Essa semana passamos para atendimentos online – para a segurança deles e nossa, psicólogos, mas seguimos atendendo. Para quem está em crise, inclusive oferece atendimento gratuito”, relata Soares.

O desconhecido e o incerto fazem com que nos sintamos inseguros, principalmente em casos como esse, de nível mundial. E, nesta situação, é comum surgir medo, apreensão e pensamentos negativos. Mas é preciso afastar esse tipo de pensamento, que é um gatilho para um distúrbio mental mais grave, inclusive a depressão e pânico, orienta Soares. “O cérebro funciona com conexões. Um pensamento negativo leva a outro, a outro e assim por diante. E isso destrói a pessoa”, explica. A orientação do psicólogo é rebater a ansiedade e a preocupação exacerbada com outros pensamentos, tais como: a realidade hoje é essa; não estou sozinho – é um problema mundial; é uma realidade maior, contra a qual não podemos mudar muita coisa; vou me preocupar quando realmente o problema chegar; e o ser humano tem capacidade para se adaptar às mais diversas situações. Assim, frisa ele, se preserva de uma doença mental.

Mário Soares, que recentemente esteve na Espanha, destaca que podemos obter melhores resultados quando nos unimos. Também sugere às pessoas nesta época de mais tempo disponível e de tantas incertezas uma reflexão sobre modo de vida e valores. “É nítido que esta epidemia vai causar uma nova ordem mundial na economia, no consumo, nas relações interpessoais e nos valores. Então, como a maioria das pessoas está em distanciamento social, em casa, com sua família, é um bom momento para pensar em o que realmente importa para elas. Assim, quando tudo isso passar, vamos ser pessoas melhores”, acredita. 

O que também ajuda, para quem tem credo, é se apegar a ele, confiar nele. E, enquanto a epidemia de coronavírus não passa e a orientação das autoridades de saúde é o distanciamento social, além de toda a precaução para não contrair o vírus, Soares indica também uma série de ações para praticar visando a saúde física e mental. Confira abaixo: 

Pensamentos:

- A realidade hoje é essa e não estou sozinho – é um problema mundial;

- É uma realidade maior contra a qual não podemos mudar muita coisa; 

- Vou me preocupar quando realmente o problema chegar; não sofra por antecipação.

- Consegui chegar até aqui, e vou passar por isso também;

- O ser humano tem capacidade para se adaptar às mais diversas situações.

- Cuidado com os pensamentos intrusos, que podem elevar a ansiedade;

- Avalie seus pensamentos. Será que eles são reais? Ou será que estou intensificando-o por conta do estresse do momento? 

Ações:

- Se protejam do coronavírus e tenham paciência com os idosos da casa.

- Cuide de você – se alimente bem e faça atividade física em casa. Há aulas online gratuitas em diversas plataformas; tente manter sua rotina de sono.

- Aproveite o tempo para fazer o que gosta, como ler livros, ouvir música, cozinhar e estudar, organizar a casa (há vários cursos online gratuitos). Mantenha a cabeça ocupada;

- Não deixe de falar com familiares e amigos. Pelo WhatsApp e outras plataformas é possível conversar com áudio e vídeo, inclusive com várias pessoas ao mesmo tempo.

- Se há idosos que dependem de você faça o seu melhor; poupe-os de terem que sair.

- Estabeleça uma rotina com horários para cada atividade: trabalho, autocuidado, alimentação, lazer, relaxamento, etc;

- Reflita sobre sua vida. Tente perceber o que pode aprender, o que quer mudar;

- Cuidado com excesso de informações e as fake news sobre a epidemia; 

- Se você tem um credo, confie nele; ore, reze, faça preces e busque manter a paz de espírito.

- Se perceber que sua saúde física ou saúde mental não está bem, peça ajuda. 

Sobre o Sistema Hapvida

Com mais de 6 milhões de clientes, o Sistema Hapvida hoje se posiciona como o maior sistema de saúde suplementar do Brasil presente em todas as regiões do país, gerando emprego e renda para a sociedade. Fazem parte do Sistema as operadoras do Grupo São Francisco, América, Promed e Ame, RN Saúde, além da operadora Hapvida. Atua com mais de 29 mil colaboradores diretos envolvidos na operação, mais de 15 mil médicos e mais 14 mil dentistas. Os números superlativos mostram o sucesso de uma estratégia baseada na gestão direta da operação e nos constantes investimentos: atualmente são 40 hospitais, 160 clínicas médicas, 42 prontos atendimentos, 126 centros de diagnóstico por imagem e coleta laboratorial.

- Por Ieda Rodrigues - Lettera Comunicação - 27 de março de 2020 17:12

- Comente, Compartilhe e Interaja em sua rede social.

Veja Também: Artigos Relacionados