Viva Marilia | Viva Marília é a simplicidade através de conteúdos que façam a diferença na vida daqueles que dedicam seu precioso tempo para nos ler.

Neste Dia dos Namorados, conheça os benefícios do amor e da paixão para a saúde

Data: / 410 views
Neste Dia dos Namorados, conheça os benefícios do amor e da paixão para a saúde

Estar apaixonado libera hormônios e neurotransmissores que melhoram o humor, aumentam a felicidade e promovem o relaxamento

Ah, o amor! Sensação de frio na barriga, borboletas no estômago e sorriso estampado no rosto são as manifestações físicas mais corriqueiras em uma pessoa apaixonada.

Não à toa, é reservado nesta segunda-feira (12) todo um dia para celebrar os sentimentos de amor e paixão: o Dia dos Namorados. E estar envolto por tais sentimentos traz benefícios à saúde.

De acordo com a psiquiatra Julia Trindade, membro da ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria), embora as emoções estejam interligadas, elas são sentimentos diferentes — acionam funções distintas no cérebro, ao liberar vários hormônios e neurotransmissores, ativando funções orgânicas.

"A paixão é caracterizada por uma atração intensa, desejo ardente e forte impulso motivacional ao outro que não, necessariamente, precisa ser correspondido, ativando no cérebro as áreas de recompensa, como o núcleo accumbens, e liberando dopamina e noradrenalina, o que aumenta a frequência cardíaca, faz a pessoa suar e dilata as pupilas."

A psiquiatra Jéssica Martani explica que a dopamina está associada às sensações de prazer e recompensa. A paixão libera ainda ocitocina, hormônio relacionado aos vínculos sociais e à confiança.

Já o amor, que envolve conexão emocional, intimidade e comprometimento, é uma experiência mais duradoura e profunda.

Embora ainda existam fatores neurobiológicos a ser entendidos em relação ao sentimento, Julia alega que estudos sugerem que o amor romântico está ligado à área do córtex pré-frontal, que administra os processamentos cognitivos e regula as emoções. 

As especialistas afirmam que se apaixonar gera inúmeros benefícios à saúde de quem experimenta o sentimento. Segundo Jéssica, estar apaixonado pode trazer efeitos como:

• bem-estar emocional: a paixão e o amor podem aumentar a sensação de felicidade, satisfação e contentamento;

• redução do estresse: estar apaixonado pode diminuir os níveis de cortisol, o hormônio do estresse, e promover um estado de relaxamento; 

• fortalecimento do sistema imunológico: o amor e a intimidade podem estimular o sistema imunológico, tornando-o mais eficiente na defesa contra doenças. Além disso, o vínculo pode auxiliar o sistema na recuperação de doenças;

• longevidade: alguns estudos, segundo Jéssica, sugerem que estar em um relacionamento amoroso saudável pode estar associado a uma maior expectativa de vida; 

• menor incidência de transtornos psiquiátricos: Jéssica afirma que dados epidemiológicos sugerem que estar em um relacionamento duradouro diminui a incidência de alguns transtornos psiquiátricos, como casos de depressão grave, e reduz o risco de suicídio; e

• vínculos sociais: ter uma companhia aumenta a autoconfiança e diminui o isolamento. 

Julia acrescenta que o sistema cardiovascular é beneficiado, visto que a excitação gerada pela paixão pode aumentar a frequência cardíaca e melhorar a circulação sanguínea.

• A saúde mental também é favorecida, uma vez que os neurotransmissores e hormônios liberados aumentam as sensações de felicidade, alegria, segurança, pertencimento e bem-estar, melhorando o humor de quem está apaixonado.

Entre os responsáveis pelas sensações, as especialistas destacam os hormônios e neurotransmissores a seguir:

• dopamina: a paixão inicial está associada a um aumento significativo nos níveis de dopamina, que desempenha um papel fundamental na motivação, recompensa e prazer;

• ocitocina: a intimidade e o apego emocional estão relacionados à liberação de ocitocina, conhecida como o hormônio do amor. Responsável pela promoção dos sentimentos de confiança, empatia, vínculo social e afeto, esse hormônio promove a redução da ansiedade; 

• serotonina: a paixão também pode levar a um aumento nos níveis de serotonina, que está envolvida na regulação do humor e das emoções; e

• adrenalina: durante a fase inicial da paixão, pode ocorrer um aumento na liberação de adrenalina, que está relacionada à excitação, à aceleração dos batimentos cardíacos e ao aumento da energia.

"A vasopressina é outro hormônio que desempenha um papel no estabelecimento de relações íntimas e na fidelidade. Sua liberação está relacionada ao apego duradouro e à formação de laços românticos estáveis. Já a excitação e a felicidade associadas à paixão podem levar à liberação de endorfinas, neurotransmissores que promovem sensações de bem-estar e alívio da dor. Isso pode resultar em melhorias no humor, aumento da energia e redução do estresse", finaliza Julia.

SAÚDE | Giovanna Borielo, do R7 - ATUALIZADO EM 12/06/2023 - 07H46 -

- Comente, Compartilhe e Interaja em sua rede social.

Veja Também: Artigos Relacionados