Viva Marilia | Viva Marília é a simplicidade através de conteúdos que façam a diferença na vida daqueles que dedicam seu precioso tempo para nos ler.

No último capítulo, incoerências no texto e cenas nonsenses tiram o brilho de ‘O Outro Lado do Paraíso’

Data: / 344 views
No último capítulo, incoerências no texto e cenas nonsenses tiram o brilho de ‘O Outro Lado do Paraíso’

Novela chegou ao final nesta sexta, 11, e mostrou que o plano de vingança da mocinha não se cumpriu plenamente; a cena final, de Fernanda Montenegro e a câmera se aproximando dela, ao som de Radiohead, foi um alento

Após um maçante julgamento – que durou mais de um capítulo e irritou com a inverossímil estratégia da defesa de Sophia Montserrat –, o último capítulo da novela das 9, O Outro Lado do Paraíso, que foi ao ar nesta sexta, 11, na Globo, comprovou que a verdadeira protagonista da novela foi a vilã de Marieta Severo. Mesmo com um texto cheio de incoerências, Marieta, grande atriz que é, conseguiu defender sua Sophia com dignidade até o fim. Mesmo quando tudo conspirou para que isso não acontecesse.

É compreensível que o autor Walcyr Carrasco quisesse que a grande malfeitora da trama passasse pelos mesmos sofrimentos que a mocinha Clara, provando que a lei do retorno se cumpriu. Sophia foi submetida à sessão de choque, à la Estranho no Ninho, assim como Clara passou no início da trama. Mas, mesmo que o autor esperasse que o telespectador se desligasse da realidade ao ver sua novela, é difícil acreditar nesse tipo de tratamento em pleno século 21!
 

Na realidade, os planos de vingança de Clara não se cumpriram plenamente. Afinal, como o psiquiatra Samuel (Eriberto Leão) pôde validar um laudo de insanidade de Sophia se ele manchou sua própria dignidade profissional no início da trama forjando a ficha de Clara, o que a levou ao mesmo manicômio. Nada aconteceu a ele profissionalmente. A vingança então ficou no campo pessoal, quando sua homossexualidade foi exposta. Ou seja, para o espectador, ficou a mensagem que o fato de ele sair do armário em público foi um castigo. O que, na verdade, foi libertador para ele.

O julgamento da vilã Sophia, personagem de Marieta Severo. Foto: TV Globo

Os outros que estavam na lista de vingança de Clara: o juiz perdeu o cargo, mas manteve o mesmo cinismo de sempre; o delegado pedófilo foi morto rapidamente na cadeia; Lívia, que ajudou Sophia em seu plano de tirar o filho de Clara, perdeu o guarda do menino, mas não pagou efetivamente por sua atitude amoral.

Redenção. A despedida de Caetana, no leito de morte, foi a oportunidade perfeita para gigantes da interpretação como Laura Cardoso, Fernanda Montenegro e Lima Duarte deitarem e rolarem. Foi uma cena linda, e tudo estava indo bem, isso até o velório de Caetana virar uma festança ao som de Pabllo Vittar, com direito a tons surrealistas com a ex-dona do bordel, ou melhor, seu espírito, feliz, levantando voo. Se a novela tivesse seguido essa linha desde o início, tudo bem, mas acabou criando humor involuntário com essa cena de Caetana flutuando, ao som de Pabllo, a caminho do céu.

A aparente redenção de Gael foi bonita, no momento em que ele acude uma vítima de violência doméstica. Já envolvido com a moça, o rapaz jurou que também já tinha sido um marido violento, mas que tinha mudado. Mas o personagem não foi submetido a uma situação em que essa sua mudança fosse colocada à prova. Ficou então a dúvida se sua regeneração tenha ocorrido de fato. A cena final, de Fernanda Montenegro, sentada, e a câmera se aproximando dela, ao som de Radiohead, foi um alento.

Mesmo assim, várias pontas da trama ficaram soltas, sem o devido desfecho. Uma pena que as incoerências no texto e cenas nonsenses tenham tirado o brilho de O Outro Lado do Paraíso no final.

- O ESTADÃO - Adriana Del Re - 11 Maio 2018 | 23h36

 

- Comente, Compartilhe e Interaja em sua rede social.

Veja Também: Artigos Relacionados