Viva Marilia | Viva Marília é a simplicidade através de conteúdos que façam a diferença na vida daqueles que dedicam seu precioso tempo para nos ler.

O aposentado que aterroriza a vida dos vereadores

Data: / 625 views
O aposentado que aterroriza a vida dos vereadores

Com camiseta de morcego e lentes vermelhas, Lourivaldo Delfino protesta por diversas causas em frente à Câmara Municipal

Todos os dias, o aposentado Lourivaldo Delfino, de 57 anos, acorda às 6 da manhã, veste uma camiseta preta de morcego e põe lentes de contato vermelhas. Com uma caixa de som a tiracolo, entra em seu Peugeot 2007, no Jardim Tietê, na Zona Leste, rumo à Câmara Municipal.

A missão: protestar contra a corrupção e reivindicar melhorias na periferia. Ele liga o microfone e ataca sem dó os parlamentares, chamando-os de “safados” e “vagabundos”. Já foi levado para a delegacia ao menos dez vezes e coleciona dezenove ações judiciais movidas por vereadores como Abou Anni (PV) e Juliana Cardoso (PT).

Em quatro processos acabou condenado por danos morais. As sentenças variaram de multas — que, somadas, chegam a 9 400 reais — a prestação de serviços comunitários. “Ele persegue pessoas de forma maldosa”, acusa Juliana Cardoso. “Não recorri de nenhuma condenação porque quero mostrar o que estão fazendo comigo”, alega Delfino.

O “vampiro”, como ele ficou conhecido, tem nos protestos seu objetivo de vida há oito anos. Tudo começou quando uma enchente causou o transbordamento do córrego Riacho dos Machados, em São Mateus, e inundou várias casas, fazendo com que dezenas de famílias perdessem tudo. “Foi tão horrível que resolvi gravar um vídeo e divulgar as imagens”, relembra.

Um mês depois, o poder público municipal retomou parte da obra para a contenção de alagamentos na região, que estava parada havia um ano.

Animado com a história, Delfino criou o site e canal Tietê News, em que posta vídeosnos quais escancara problemas e atazana políticos. “Graças a ele conseguimos iluminação pública e uma linha de ônibus”, afirma Morgana Martins, moradora do Recanto Verde do Sol, na Zona Leste.

Em 2015, após denunciar outra construção antienchentes paralisada, Delfino foi citado por Fernando Haddad em um vídeo. “Se não fosse esse homem, que me mandou 1 milhão de e-mails, essa obra não teria saído”, disse o então prefeito, na época. Ex-técnico da Eletropaulo, Delfino é aposentado desde 2011 e recebe 10 000 reais por mês.

Vive em uma casa própria com a esposa, costureira, e os três filhos. Na política, mostrou-se versátil no último pleito municipal. Cravou Mario Covas Neto (PSDB) para vereador e apoiou a reeleição de Fernando Haddad (PT). “Não tenho preferências por partidos, e voto em quem ajuda a comunidade”, justifica.

- VEJA.com - 

- Comente, Compartilhe e Interaja em sua rede social.

Veja Também: Artigos Relacionados