Viva Marilia | Viva Marília é a simplicidade através de conteúdos que façam a diferença na vida daqueles que dedicam seu precioso tempo para nos ler.

Para pai, ‘milagre’ salvou menina de seis anos baleada em SP

Data: / 281 views
Para pai, ‘milagre’ salvou menina de seis anos baleada em SP

Criança levou tiro durante operação policial em bairro da zona leste da capital paulista; pai diz que cabelos impediram que bala atingisse artéria da filha

Baleada durante uma operação policial na última quinta-feira, na Vila Prudente, Zona Leste de São Paulo, a menina Ana Victoria Rodrigues Silva, de seis anos, segue internada. Em vídeo publicado nas redes sociais, o pai, o professor de tênis Gilson Silva, de 27 anos, diz que sua filha ter sobrevivido foi um milagre, e agradeceu o apoio de amigos e familiares.

O vídeo foi gravado no Hospital Municipal do Tatuapé, onde Ana Victoria está internada após passar por um procedimento cirúrgico para retirar fios de cabelo que estavam presos à bala. Segundo uma postagem de Gilson no Facebook, foram justamente os cabelos longos que salvaram a vida da filha, impedindo que o projétil acertasse uma artéria.

Ainda no vídeo, Silva diz para a filha que ela está com uma bala “de menta, doce”, alojada em um músculo das costas. “Eu estou bem. Foi só um tirinho”, responde ela. “Nada mais, né? Foi só um tiro, você só quase matou o seu pai e a sua mãe do coração, seu vô, suas avós. Mas, graças a Deus, a Ana Victoria está muito bem. Já está aí, bagunçando, já ganhou presentinho, comeu duas marmitas inteiras sozinha”, brinca.

Ana Victoria está em estado estável e não corre riscos. Não há, contudo, uma definição se ela passará ou não por um procedimento para a retirada da bala. Também não há previsão de alta hospitalar.

Tiro

Na quinta-feira,  Gilson disse que a filha correu para casa quando viu policiais militares na rua. Quando estava na garagem de sua residência, foi atingida por um projétil no lado esquerdo das costas. Em seguida, foi socorrida por uma das avós, que pediu ajuda dos próprios PMs, que, segundo o pai, responderam que não poderiam prestar socorro.

“Os vizinhos é que tiveram de ajudar. Os policiais se negaram a socorrer minha filha”, afirmou. Segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP), os PMs faziam patrulhamento quando um homem atirou contra eles. O tiro teria “ricocheteado” e atingido a criança. Os agentes também dizem que tentaram socorrer a menina, a entregaram à avó e pediram ajuda, mas que teriam sido agredidos por moradores. Um inquérito foi aberto para apurar de onde partiu a bala que atingiu Ana Victoria. (VEJA - Com Estadão Conteúdo)

- Comente, Compartilhe e Interaja em sua rede social.

Veja Também: Artigos Relacionados