Viva Marilia | Viva Marília é a simplicidade através de conteúdos que façam a diferença na vida daqueles que dedicam seu precioso tempo para nos ler.

Pedal solidário arrecada verba para tratamento de menino com doença rara

Data: / 151 views
Pedal solidário arrecada verba para tratamento de menino com doença rara

João Pedro Costa do Santos, conhecido com Pedrinho, foi diagnosticado com epidermólise bolhosa, doença que faz com que a pele apresente bolhas e descolamento. Inscrições custam R$ 15.

Será realizado neste domingo (25), em Bauru (SP), o Pedal do Pedrinho. O evento é em prol do tratamento de João Pedro Costa dos Santos, de 13 anos, que foi diagnosticado com uma doença rara chamada epidermólise bolhosa.

Em 2015, o G1 acompanhou a aventura do menino que é fã da Polícia Militar e tinha o sonho de conhecer o helicóptero Águia. Após enviar uma carta para corporação e emocionar os policiais, ele conseguiu realizar esse sonho.

Toda a renda das inscrições, que custam R$ 15, será revertida para o tratamento do menino. Os interessados podem se inscrever pelo site até sexta-feira (23) e também no dia e local do evento. E quem também quiser colaborar pode fazer a doação de qualquer valor na seguinte conta:

 

  • Banco : Caixa Econômica Federal

  • Agencia: 1996

  • Operação: 13 poupança

  • Conta: 0000 24 803-8

  • Marines da Costa Mariano

  • CPF 287.417.418-11

 

O Pedal do Pedrinho será no domingo (25) com concentração a partir 7h no Sest/Senat e saída às 8h30. Serão 3 percursos: Kids (10km); Light (20km) e Hard (30 km). Crianças menores de 12 anos não pagam inscrição. O Sest/ Senat fica na Rua José Postingue, 5-115, no Distrito Industrial.

 
Pedal solidário arrecada verba para tratamento de menino com doença rara em BauruPedal solidário arrecada verba para tratamento de menino com doença rara em Bauru

 

Tratamento

Caracterizada por uma grande sensibilidade da pele, a epidermólise bolhosa é uma doença genética rara que provoca falta de adesão entre as células da epiderme. Por isso, qualquer traumatismo – ainda que leve – pode levar à formação de bolhas e ao descolamento da pele.

A forma simples é a menos grave, em que as bolhas e feridas restringem-se às mãos e aos pés. A forma mais grave, afeta também a boca, o esôfago e o intestino, o que faz com que o paciente tenha dificuldade para engolir alimentos. Já na forma distrófica, também grave, os dedos do paciente têm a tendência de aderir uns aos outros. O melhor tratamento é o preventivo: não machucar e evitar traumatismos.

João Pedro faz tratamento, mas a doença não tem cura e em algumas crises é mais difícil a recuperação. O valor das doações é para custear pomadas, remédios e curativos que ele precisa utilizar e nem sempre a família consegue o fornecimento pelo estado.

- Por G1 Bauru e Marília -  

- Comente, Compartilhe e Interaja em sua rede social.

Veja Também: Artigos Relacionados