Viva Marilia | Viva Marília é a simplicidade através de conteúdos que façam a diferença na vida daqueles que dedicam seu precioso tempo para nos ler.

Policial civil aposentado reage a tiros a desocupação de residência e morre em confronto com a PM

Data: / 349 views
Policial civil aposentado reage a tiros a desocupação de residência e morre em confronto com a PM

Um dos disparos atingiu a artéria femural do homem, de 72 anos, que sofreu hemorragia. Uma mulher e um policial militar também se feriram durante a ocorrência.

Troca de tiros ocorreu em Dracena, na manhã desta terça-feira (6) — Foto: Mariane Santos/TV Fronteira

Uma troca de tiros deixou uma pessoa morta e duas feridas em Dracena, na manhã desta terça-feira (6). Um dos baleados é um policial civil aposentado, de 72 anos, que não resistiu e morreu; uma mulher, de 48 anos, levou um tiro de raspão na cabeça. Um policial militar também sofreu escoriações durante a ação.

Conforme as primeiras informações ao G1 por meio do tenente-coronel Carlos Vitor Negri da Silva, comandante interino do Comando de Policiamento do Interior – Oito (CPI-8), o fato ocorreu durante o processo de imissão de propriedade, realizada pelo Poder Judiciário, para qual foi solicitado apoio da Polícia Militar.

No local, durante as tratativas entre as partes e o oficial de Justiça, o proprietário (policial aposentado) disparou com um revólver de calibre 38 contra a arrematante, que foi atingida de raspão na cabeça.

 

A lesão sofrida pela mulher, de 48 anos, foi considerada grave, mas ela não corre risco de morte, conforme a Polícia Militar. Ela deve ser transferida para uma unidade de saúde em Presidente Prudente.

Diante da situação, houve intervenção da Polícia Militar, que apoiava o Poder Judiciário, e o agressor foi alvejado, ainda conforme informou ao G1 o tenente-coronel Negri.

O homem foi atingido por dois disparos na perna, sendo que um deles acertou a artéria femural.

O policial militar que disparou na defesa da arrematante, para se desvencilhar durante o tiroteio, caiu no chão e sofreu escoriações nas mãos e nos joelhos. De acordo com a PM, ele também foi socorrido e passa bem.

"Toda ocorrência será apresentada na Polícia Civil de Dracena. Paralelamente iremos adotar as providências de Polícia Judiciária Militar, na forma estabelecida para esses casos", disse ao G1 o comandante.

 

Inesperada agressão

 

Em nota à imprensa, a Polícia Civil, por meio do delegado Féres Karam, da Seccional de Dracena, confirmou o “triste acontecimento” envolvendo o investigador de polícia aposentado Univaldo Buzati, de 72 anos, casado, residente em Dracena, onde também atuou como policial civil.

“O policial civil, ao que consta, por questões trabalhistas nas quais se envolveu há alguns anos, deveria deixar os imóveis que ocupava na Rua São Paulo, nesta cidade [Dracena], eis que foram arrematados em hasta pública”, explicou a polícia, em nota.

Nesta terça-feira (6), compareceram aos imóveis a arrematante acompanhada de um oficial de Justiça e dois policiais militares para o cumprimento da ordem judicial.

O investigador de polícia aposentado foi até o local onde estava a nova proprietária dos imóveis, sacou a arma e disparou, atingindo-a na cabeça, "porém não de forma letal". "A vítima conseguiu abrigar-se de novos disparos", colocou.

“Os policiais militares que acompanhavam o caso procuraram repelir a inesperada agressão e um deles disparou dois tiros contra o policial civil aposentado, atingindo-o na região das coxas. Socorrido, o policial faleceu tendo por causa preliminar hemorragia”.

 

A Polícia Civil compareceu ao local, para o registro da ocorrência, cujas naturezas são: “Morte por intervenção policial, Homicídio doloso consumado, Legítima defesa e Homicídio doloso tentado”. Um inquérito policial para a total elucidação dos fatos ocorridos também deve ser instaurado.

A Polícia Técnico Cientifica compareceu ao local para os devidos levantamentos, bem como exames residuográficos nos atiradores. Também foi acionado o Instituto Médico Legal (IML) para o devido exame necroscópico da vítima fatal.

“A Polícia Civil lamenta o ocorrido, apresentando seus respeitos aos familiares e demais envolvidos, e segue em sua missão de apurar a verdade real dos fatos, informando com presteza e esclarecendo-os”, finalizou a nota.

- Por G1 Presidente Prudente -  

- Comente, Compartilhe e Interaja em sua rede social.

Veja Também: Artigos Relacionados