Viva Marilia | Viva Marília é a simplicidade através de conteúdos que façam a diferença na vida daqueles que dedicam seu precioso tempo para nos ler.

Preço do combustível chega a R$ 6,99 e motoristas fazem fila em postos de Marília

Data: / 262 views
Preço do combustível chega a R$ 6,99 e motoristas fazem fila em postos de Marília

Valor foi reajustado para R$ 4,99 na manhã desta quinta-feira. Empresa que gerencia o transporte público na cidade também informou possível desabastecimento nos próximos dias e sete linhas já foram retiradas de circulação para economizar

Preço da gasolina chegou a R$6,99 na noite de quarta-feira (23) em Marília (SP) (Foto: TV TEM/ Reprodução)

greve dos caminhoneiros contra a alta do diesel que começou na segunda-feira (21), causa reflexos no Centro-Oeste Paulista para os consumidores dos produtos que são transportados pelas estradas. O setor de combustíveis é um dos principais deles.

Em um posto de combustível na zona oeste de Marília (SP), por exemplo, o litro da gasolina chegou a custar R$6,99 e o do etanol R$4,87 - um aumento de quase 95% - na noite de quarta-feira (23).

Na manhã desta quinta-feira (24), os preços voltaram a baixar. No entanto, ainda estão cerca de 20 centavos acima do normal nos postos da cidade, mas isso não impediu que filas de carros se formassem.

 
Filas de carros se formaram no início da manhã desta quinta-feira (24) nos postos de gasolina (Foto: Reprodução/TV TEM)Filas de carros se formaram no início da manhã desta quinta-feira (24) nos postos de gasolina (Foto: Reprodução/TV TEM)
 

O medo é do desabastecimento e, por isso, os motoristas estão optando por encher o tanque, mesmo com a gasolina a R$4,99 e o etanol a R$2,98.

A AMTU, empresa responsável pelo transporte público de Marília, informou que para garantir o serviço de transporte coletivo em todos os bairros até segunda-feira (28), sete linhas foram reduzidas a partir da tarde desta quinta-feira, tornado os horários de atendimento mais espaçados.

Os bairros afetados são: Jardim Marajó, Argolo Ferrão, Santa Clara, Flamingo, Jockey Clube, Vila Real e Jardim Nacional. A AMTU explicou que os bairros serão atendidos, mas o horário de intervalo entre a passagem de um coletivo e outro será maior.

Ainda sobre a questão dos combustíveis, a Prefeitura de Marília informou, por meio da Secretaria Municipal da Saúde, que as unidades do Samu encontram-se abastecidas e rodando normalmente. Os veículos do Samu não precisaram ficar em filas, pois foram priorizados nos postos conveniados ao município.

 
 
Consumidor do Centro-Oeste Paulista já sente reflexos da greve de caminhoneirosConsumidor do Centro-Oeste Paulista já sente reflexos da greve de caminhoneiros
 

Em relação à Central de Ambulâncias, a orientação aos motoristas também foi para abastecimento com tanque cheio na manhã desta quinta-feira (24) e assim garantindo a circulação nesta quinta-feira. A nota informa ainda que a secretaria da Saúde busca negociar com lideranças do setor de combustíveis alternativas e priorização dos veículos de emergência, caso a situação persista.

Já com relação à fiscalização do Procon, a prefeitura informou também que o órgão está acompanhando o caso da evolução de preços dos combustíveis em Marília nos 63 postos na cidade.

 

Estoque e abastecimento

Em Bauru (SP), donos de postos de combustíveis também já estão preocupados com a situação de desabastecimento. Na manhã desta quinta-feira, filas de veículos se formaram nos estabelecimentos e algumas pessoas estavam levando recipientes para "estocar" combustível.

Nesta quarta-feira (23) pela manhã alguns donos de postos foram à principal distribuidora e não conseguiram comprar combustíveis, que já estavam em falta. A previsão é que a partir desta quinta-feira (24) comece a faltar o produto ao consumidor.

Por isso, a prefeitura de Bauru, por precaução, limitou a quantidade de combustível liberado para as viaturas. A administração só liberou o abastecimento total para as viaturas da Secretaria de Saúde e para o Corpo de Bombeiros.

Em Ourinhos, um posto de combustíveis fechou nesta quinta-feira por falta do produto. Além disso, motoristas fizeram fila para abastecer em postos da cidade. Durante a manhã, em um dos estabelecimentos, a fila passava de um quarteirão.

Na cidade o transporte coletivo também sofre os reflexos da greve. Segundo o comunicado divulgado pela empresa responsável pelo serviço, o itinerário fica dessa forma a partir desta quinta-feira: das 6 às 8 horas, as linhas vão operar normalmente; das 8 às 10h40 terminal fica fechada e reabre em tabela horária de domingo até às 14h; das 14 às 16h40 o terminal volta a fechar voltando a funcionar em tabela horária da domingo até às 19h, depois disso, até às 22h, o terminal fica fechado e volta a funcionar em horário de domingo até às 23h40.

A prefeitura de Garça também informou que devido ao desabastecimento no reservatório de combustível municipal, somente serão abastecidas as ambulâncias, os veículos de transporte de alunos e os da merenda escolar. A medida é para evitar que falte combustível para os veículos emergenciais da prefeitura.

 

Preços abusivos

Diante das informações de aumento no preço dos combustíveis, o Procon também se manifestou e alerta identificada a prática abusiva, que é prevista no Código de Proteção e Defesa do Consumidor e trata da elevação de preços de produtos e serviços sem justa causa, o consumidor pode denunciar pela internet.

É fundamental que o consumidor anexe à denúncia imagem do cupom fiscal ou, na falta dele, o máximo de informações sobre o estabelecimento nome/bandeira, endereço, data de compra e preços praticados – se possível com fotos.

A partir desses dados será aberto procedimento para a apuração, comprovação e possível punição dos infratores.

 

Alimentos

Em um frigorífico de Lençóis Paulista, por exemplo, a greve dos caminhoneiros fez a direção suspender a saída de 20 caminhões que levariam ao Porto de Santos produtos para exportação.

Além das exportações, o mercado interno também deverá ser prejudicado pela falta de transporte. Dos 60 veículos do frigorífico que abastecem o interior de São Paulo, 32 ainda não haviam voltado nesta quarta-feira (23) para recarregar.

 
Consumidor do Centro-Oeste Paulista já sente reflexos da greve de caminhoneiros, frigorífico, Lençóis Paulista (Foto: TV TEM/Reprodução)Consumidor do Centro-Oeste Paulista já sente reflexos da greve de caminhoneiros, frigorífico, Lençóis Paulista (Foto: TV TEM/Reprodução)
 

A greve nas estradas fez com que a linha de produção ficasse parada e 650 animais deixaram de ser abatidos.

Se na mesa pode faltar carne, a situação não é diferente em relação aos legumes, verduras e frutas. Na Ceagesp de Bauru, alguns produtos deixaram de ser entregues e os preços dispararam.

 
Greve dos caminhoneiros faz Ceagesp registrar queda no estoque de alimentos em BauruGreve dos caminhoneiros faz Ceagesp registrar queda no estoque de alimentos em Bauru

As caixas de batata e cebola, por exemplo, tiveram aumento de 100% e foram comercializadas pelo dobro do valor dos últimos dias. O tomate também ficou mais caro e subiu 38%. Confira os valores:

O saco de 22 quilos de tomate passou de R$65 para R$130. Já o saco de 20 quilos de cebola que custava R$70, passou para R$140. E a maior mudança foi no preço da batata: o saco de 50 quilos passou de R$100 para R$250.

Em Garça, alguns produtos alimentícios que vêm de fora do município, destinados à merenda escolar, não foram entregues na cozinha piloto. Portanto, existe a possibilidade de adaptação do cardápio para a utilização dos produtos de fornecedores locais e regionais.

 
Consumidor do Centro-Oeste Paulista já sente reflexos da greve de caminhoneiros, Ceagesp, Bauru (Foto: TV TEM/Reprodução)Consumidor do Centro-Oeste Paulista já sente reflexos da greve de caminhoneiros, Ceagesp, Bauru (Foto: TV TEM/Reprodução)

Além disso, o estoque de alimentos na Ceagesp já começa a aprensentar problemas. Dos 15 caminhões que abastecem o local, apenas 3 compareceram ao local nesta quinta-feira.

A assessoria da Ceagesp de Marília informou que o posto está praticamente vazio, trabalhando com só 20% da sua capacidade e que houve um aumento em média de 10% no preço dos produtos.

 

Correspondências atrasadas

A greve dos caminhoneiros também impactou de forma especial as operações dos Correios. Em nota, a empresa informa que, no interior paulista, 27% das correspondências deixaram de ser entregues na terça-feira (22). No país, esse índice foi de 19%.

Por isso, informa a estatal, foram temporariamente suspensas as postagens das encomendas com dia e hora marcados, como Sedex 10. Os Correios ainda aceitam postagem de Sedex e PAC, mas haverá acréscimo de dias no prazo de entrega.

Denúncias sobre preços abusivos

A ANP disse que vai atuar em parceria com os órgãos de defesa do consumidor para fiscalizar os postos suspeitos de praticar preços abusivos. A agência disse que atuará para "reprimir essas práticas e responsabilizar os agentes responsáveis", sem especificar penalidades.

"As ações serão adotadas em caráter extraordinário, para proteger o consumidor. A ANP reforça que os preços são livres e as medidas não têm o objetivo de interferir na liberdade do mercado para definir os preços, como estabelecido em lei."

O telefone do disk denúncia é 0800 970 0267.

Por G1 Bauru e Marília -  

 

- Comente, Compartilhe e Interaja em sua rede social.

Veja Também: Artigos Relacionados